Cinco argentinos e um belga estão entre os oito mortos de atentado em NY

Cinco dos oito mortos no atropelamento que aconteceu em Manhattan na tarde desta terça-feira (31) eram argentinos, segundo informações do Ministério de Relações Exteriores da Argentina, e um deles era uma mulher da Bélgica, segundo o chanceler do país, Didier Reynders.

Segundo o site do jornal argentino Clarín, os argentinos foram identificados como Hernán Mendoza, Diego Angelini, Alejandro Pagnucco, Ariel Erlij e Hernán Ferruchi. Os homens tinham entre 45 e 50 anos de idade e faziam parte de um grupo de cerca de dez pessoas que estavam comemorando os 30 anos de formatura no Colégio Politécnico de Rosário.

A belga, por sua vez, estaria com sua irmã e sua mãe. Ao menos 11 ficaram feridas após o motorista de uma caminhonete atropelar ciclistas percorrendo quarteirões de uma ciclovia de Manhattan.

Como aconteceu o atentado 

O incidente ocorreu às 15h05 a alguns quarteirões do prédio do World Trade Center, próximo ao rio Hudson. A caminhonete invadiu a ciclovia na West Street, e o motorista dirigiu no sentido sul da ilha atropelando as pessoas. Ao deixar a ciclovia, o motorista bateu em um outro veículo –um ônibus escolar.

Em seguida, desceu do carro com duas armas –posteriormente, a polícia viu que não eram armas verdadeiras, eram uma arma de paintball e uma arma de ar comprimido. O suspeito, de 29 anos, foi baleado no abdome pela polícia e preso. Autoridades não irão identificar o autor do ataque em um primeiro momento –foi dito apenas que ele está hospitalizado.

Mas, segundo a imprensa, o autor do ataque seria Sayfullo Saipov, de Tampa, na Flórida. Ele seria cidadão do Uzbequistão e teria chegado aos EUA em 2010.

Os investigadores evitaram informar sobre o que o homem falou no depoimento dado, mas destacaram que “com base no que ele falou, foi um ato terrorista”. O governador de Nova York, Andrew Cuomo, disse que o atentado foi cometido por uma só pessoa, de acordo com os dados já obtidos na investigação.

Dois adultos e duas crianças que estavam no ônibus escolar ficaram feridos. Seis dos mortos, todos homens, morreram no local do atropelamento; duas vítimas morreram no hospital.

O número de feridos pode aumentar, já que muitas pessoas deixaram o local sem atendimento médico. “Com base na informação de que dispomos no momento, trata-se de um ato de terrorismo (…) particularmente covarde”, disse o prefeito democrata durante entrevista coletiva, na qual lamentou “este dia muito doloroso para nossa cidade”.

Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password