ACLU e advogados abrem processo contra polícia de Springfield por uso excessivo da força

A American Civil Liberties Union (ACLU) e os advogados de defesa estão pedindo à mais alta corte de Massachusetts que ordene uma investigação sobre o que eles descrevem como má conduta desenfreada no Departamento de Polícia de Springfield.

A petição apresentada ao Supremo Tribunal Judicial na terça-feira (06) diz que o estado não examinou da maneira correta as evidências crescentes de violência cometida por policiais no departamento de polícia do oeste do estado, mesmo depois dos Departamento de Justiça descobrir (DoJ), no ano passado, que seus oficiais da área de narcóticos usam rotineiramente a força excessiva, sem responsabilização.

O grupo também está exigindo uma investigação para saber se os promotores do Gabinete do Promotoria Pública do Condado de Hampden estão divulgando adequadamente as evidências de má conduta policial aos advogados de defesa.

A petição afirma que o Ministério Público parece não fornecer rotineiramente aos réus as provas que poderiam ajudar em seus casos.

“Apesar das ações judiciais, acusações, artigos de jornais, conclusões judiciais e o Relatório do DoJ, a Commonwealth não investigou o escopo total e a gravidade da má conduta dentro da polícia de Springfield.

Um porta-voz do Gabinete do Procurador Distrital disse que está “comprometido com a equidade e a justiça para todos”.

“O processo da ACLU é um esforço político mal direcionado, apoiado por opiniões tendenciosas e falsidades. É infundado e impreciso e vamos litigá-lo como tal”, disse Jim Leydon por e-mail.

A comissária de polícia de Springfield, Cheryl Clapprood, disse em um comunicado por e-mail que o departamento ainda não analisou o processo, mas ressaltou que ela tem trabalhado para “modernizar” a força policial e “priorizar o treinamento e o serviço público”.

Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password

WhatsApp Chat
Enviar Mensagem