Trump instala cerca na fronteira e ameaça paralisar o governo

O presidente Donald Trump ameaçou, nesta quinta-feira, fechar a fronteira entre seu país e o México, caso seu governo conclua que a situação dos imigrantes em território mexicano está “fora de controle”. Além disso, ele não descartou que seu governo possa sofrer uma paralisação parcial em dezembro, se a oposição democrata não aprovar mais dinheiro para a construção de um muro.

Apesar do feriado de Ação de Graças, Trump conversou com repórteres dizendo que autorizou o envio de milhares de soldados para a fronteira, afirmando que eles poderão usar força letal contra os imigrantes “se tiverem de fazer isso”.

Sobre os imigrantes e refugiados acampados na cidade fronteiriça mexicana de Tijuana, vindos da América Central em busca de uma vida nova nos EUA, Trump disse que há “uma situação muito ruim” na cidade.

“Se entendermos que a situação é incontrolável”, então fecharemos a entrada ao país durante um período de tempo até que consigamos controlá-la. Toda a fronteira”. Trump disse também “esperar que não tenha de fazer isso”, mas argumentou que eventualmente poderia “não ter opção”.

O presidente tampouco descartou a possibilidade de paralisação parcial do governo em dezembro, caso os legisladores se neguem a destinar verba para a construção do muro fronteiriço com o México, promessa de campanha do magnata. Segundo ele, “certamente” isso pode ocorrer, por causa da questão da segurança fronteiriça, “do qual o muro é parte”.

Arame farpado

Para se antecipar à caravana de migrantes centro americanos que se desloca em direção à fronteira sul dos Estados Unidos, cerca de 100 soldados do 19° Batalhão de Engenheiros do exército americano se moviam rapidamente, desenrolando carretel atrás de carretel de arame farpado para depois prendê-lo a postes fincados no chão. A cerca foi instalada em três dias.

Os efetivos não estão em uma zona de guerra, mas em Laredo, cidade na fronteira com o México, dominada por um trecho do Rio Grande.

O presidente Donald Trump enviou 5.800 soldados à fronteira para prevenir a chegada de grandes grupos de migrantes centro-americanos que viajam pelo do México, uma medida que os críticos denunciaram como uma tentativa de conseguir vantagem política antes das eleições de meio mandato celebradas no começo deste mês.

Trump classificou o avanço da caravana de migrantes como uma “emergência nacional”. Até agora, o aspecto mais visível da resposta de Trump é a cerca de arame. O obstáculo vai obrigar os migrantes que ameaçam invadir a fronteira, a procurar pontos da entrada organizados em território americano.

Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password