TIRO NO PEITO: Polícia diz que adolescente roubou e matou corretor brasileiro na Flórida

A polícia da Flórida revelou o resultado das investigações de um latrocínio ocorrido no começo de fevereiro. De acordo com um comunicado, um adolescente de 15 anos de idade fez um corretor de imóveis refém, sob a mira de uma arma de fogo, forçou-o a dirigir até um caixa eletrônico para sacar US $ 1.000. Ele matou o agente antes de fugir, de acordo com as informações divulgadas pela polícia.

O corretor estava prestes a visitar inquilinos em um quadriplex da Northwest 15th Terrace, em Fort Lauderdale (FL) por volta das 4:30 pm, no dia 1º de fevereiro, quando o adolescente armado, que usava roupas escuras e uma máscara preta de esqui, se aproximou, de acordo com o relatório da prisão.

Identificado como Stefano Jammel Barbosa, 37, residente de Fort Lauderdale, o agente largou a prancheta e ergueu as mãos. O ladrão então forçou Barbosa a entrar no carro e eles seguiram por cerca de uma milha até a uma agência do Bank of America, na Northwest Sixth Street, onde dois saques de $ 500 foram realizados, em um caixa eletrônico.

Depois, os dois saíram do banco e Barbosa dirigiu por mais duas milhas quando o ladrão, que estava no banco do passageiro, atirou no peito dele. O carro passou por uma cerca de arame e bateu em uma árvore antes que o criminoso fugisse.

O corpo de Barbosa foi encontrado por volta das 5:00 pm, com ele debruçado ao volante do carro. Foi um residente da região que encontrou e ligou para o 911.

De acordo com a polícia, o adolescente foi preso pouco tempo depois e enfrenta acusação como um adulto. Ele será julgado por homicídio em segundo grau e assalto à mão armada, de acordo com os registros judiciais.

A primeira audiência de julgamento ocorreu no sábado, dia 06. “Sei que diz que você tem 15 anos, mas foi acusado como adulto de uma acusação de assassinato outra de roubo com arma de fogo”, disse o juiz John Murphy.

O nome do adolescente não foi divulgado por causa de sua idade. Os detetives da polícia de Fort Lauderdale o identificaram como o atirador depois de examinar os vídeos de vigilância do bairro e do banco.

As imagens tiradas dos vídeos foram mostradas às pessoas da vizinhança, e elas reconheceram o adolescente.

Os investigadores descobriram que ele era um estudante da Cross Creek School, em Pompano Beach. Três funcionários da escola também identificaram o adolescente visto nos vídeos.

O suspeito já estava sob custódia juvenil por outras acusações, entre elas resistência à prisão e agressão a um policial quando os detetives determinaram que ele era o suspeito de assassinato.

Os investigadores descobriram que o celular do adolescente também o relacionava com o assassinato. O histórico de pesquisas do celular na internet também mostrou que, em 2 de fevereiro, uma notícia sobre a morte do agente imobiliário foi lida.

O adolescente foi transferido da custódia juvenil para a prisão do condado de Broward, no dia 05. Em um comunicado, o Procurador do Condado de Broward, Harold F. Pryor, disse que esse caso de assassinato seria mais bem tratado se o adolescente fosse acusado como adulto. “Esse tipo de decisão é muito difícil de tomar, mas acredito que essa seja a correta neste caso e nessas circunstâncias”, disse. “Os problemas deste jovem são tão significativos que requerem tratamento, ajuda e serviços além do que o sistema juvenil pode oferecer neste momento”, continuou.

Se o assassinato tivesse sido tratado como um assunto para os tribunais de menores, o adolescente teria sido libertado do sistema muito mais cedo. “Qualquer acusação juvenil significaria que a pessoa seria libertada após três anos e só poderia ser mantida sob supervisão até os 21 anos”, explicou o Procurador.

O registro da primeira prisão do adolescente é de junho de 2018, quando ele foi acusado de roubo com arma de fogo aos 12 anos de idade.

Ele foi preso várias vezes desde então sob acusações, incluindo roubos, agressão a uma pessoa com 65 anos, agressão a um policial, agressão a funcionário da escola, interferir nas funções escolares, ameaçar funcionário público ou família, ação criminosa envolvendo artigos religiosos em uma igreja, sinagoga ou mesquita, jogos de azar por dinheiro, obstrução e dirigir sem carteira válida, de acordo com o Departamento de Polícia da Flórida.

Barbosa nasceu em Campinas, São Paulo. Ele se formou na Miami Palmetto Senior High School e obteve dois diplomas de bacharelado na Pennsylvania State University. Ele voltou para o sul da Flórida e começou a trabalhar no mercado imobiliário, o que se tornou uma de suas muitas paixões, de acordo com seu obituário.

“Estou com o coração partido por saber que ele não estará mais conosco”, escreveu Eliana Medaglia, em seu livro de convidados do obituário. “Vou sentir falta de sua presença e vou sentir falta de sua risada contagiante! Ele estava sempre rindo”.

Kiara Morales Vélez disse que trabalhar com Barbosa foi um prazer e uma honra. “Ele era realmente uma alma genuína!”, escreveu ela. “Aprecio todas as memórias, risos e bons momentos compartilhados no escritório”.

Compartilhar:

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password

WhatsApp Chat
Enviar Mensagem