DJ Anderson é inocentado de acusação de violência doméstica

No dia 27 de novembro de 2017, o brasileiro Anderson Batista, mais conhecido por DJ Anderson, foi preso por agentes do Departamento de Imigração e Alfândega dos Estados Unidos (ICE, sigla em inglês). Na época, ele saiu de uma audiência onde respondia pela acusação de violência doméstica. Passou-se o tempo, ele foi inocentado de ter agredido sua namorada e está a responder ao processo de imigração em liberdade.

“Quando eu fui inocentado e sai da prisão de imigração, nenhum jornal publicou, até porque eu achei que não seria necessário e isso era um assunto particular. Mas depois que algumas pessoas começaram a usar as notícias para me denegrir e atacar minha família, no Brasil, achei que deveria explicar o que aconteceu”, explicou.

Na época em que Anderson foi preso pela suposta agressão à namorada, foi ele quem havia chamado a polícia. De acordo com os registros judiciais, o DJ e a companheira teriam entrado em uma discussão que ficou mais acalorado. Preocupado com o que poderia acontecer, ele ligou para o 911 e pediu ajuda.

Mas quando os policiais chegaram à casa dele, na cidade Marlborough (Massachusetts), a mulher contou outra história e afirmou que ele a agrediu. Anderson rebateu a acusação e disse que foi ele quem chamou a polícia. “Mas os policiais me disseram que não poderiam fazer nada e que eu teria que provar que estava falando a verdade”, explicou.

A suposta vítima não informou a ninguém sobre a prisão, por isso Anderson ficou dois dias em uma cadeia, sem se comunicar com ninguém. Somente com a ajuda de um advogado, que pegou os seus pertences e carregou o telefone celular, foi que o DJ conseguiu se comunicar com um amigo, o qual enviou um irmão para pagar a fiança de US $500. “Graças a Deus ele foi rápido, pois fui informado que agentes do ICE iriam me esperar do lado de fora do tribunal”, disse.

O tempo passou e quatro audiências sobre o caso de agressão foram realizadas. Mas em nenhuma delas a suposta vítima apareceu e nenhuma prova foi apresentada. Diante disso, Anderson foi inocentado, mas na quarta audiência, ao sair do tribunal, ele foi abordado por agentes de imigração.

Novamente o DJ é detido, mas desta vez foi por causa de um visto vencido. Anderson entrou nos Estados Unidos em 2006 e no ano seguinte sua permissão de ficar no país expirou. Como a maioria dos imigrantes, ele decidiu ficar no país e construir a sua vida. Mas durante a administração Trump, a perseguição aos imigrantes ficou mais forte.

Novamente Anderson iniciou uma luta para tentar a liberdade e cerca de um mês depois conseguiu pagar a fiança de US $10 mil, com a ajuda da comunidade, onde ele é muito querido. Agora, depois de provar que foi vítima de uma armação, o brasileiro luta contra um processo de imigração que poderá ser arquivado a qualquer momento, diante dos esforços do presidente Joe Biden em acabar com as ações racistas e anti-imigrantes de seu antecessor.

“Estou feliz pois está dando certo e agora quero investir muito nos meus projetos e continuar a minha vida neste país”, afirmou ele. “Quero apenas que as pessoas saibam que eu fui vítima de uma armação e que a suposta vítima não provou que eu a agredi e nem os investigadores encontraram indícios de alguma violência conta ela”, afirmou.

Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password

WhatsApp Chat
Enviar Mensagem