Brasileiro que vive em NY diz que foi ameaçada ao alertar sobre charlatanismo de “bruxa brasileira”

No ano passado, o ativista de direitos humanos Antonio Isurperio, de 40 anos, que hoje vive em Nova York, se deparou nas redes sociais com as promessas de cura espiritual feitas pela autodeclarada bruxa Katiuscia Torres Soares, de 34 anos, que na época vivia nos EUA. Ele alertou os seguidores que poderia se tratar de charlatanismo e, desde então, passou a sofrer represálias.
Kat garantia que podia curar “qualquer doença física” e cobrava por consultas em que contraindicava o uso de medicamentos com prescrição médica ou a ajuda de psicólogos. Antonio é mais um dos que se dizem vítimas da guru, que foi deportada e está em prisão preventiva em Belo Horizonte (MG). As investigações apuram se a acusada está envolvida em casos de prostituição, tráfico humano e de manter pessoas em regime de escravidão.
Isurperio relata – e exibe capturas de tela de postagens como provas – que, logo após ter feito o alerta contra o que poderia ser prática de “bruxaria” enganosa, Kat Torres passou a exibir o rosto e o número de telefone dele em suas redes sociais, que atraíam milhões de pessoas. Nos posts, ela o chamava de “machista” e “massacrador de mulheres”.
Logo que o escândalo envolvendo à guru veio à tona, ela chegou a fazer denúncias também contra Yasmin Brunet, dizendo que a modelo, que processa Kat por calúnia, difamação e ameaça, estaria envolvida em tráfico humano. Há cerca de dois meses, a ex-modelo se voltou ainda contra um apresentador de TV, que noticiou as suspeitas que pairavam sobre as atividades dela nos EUA. As reportagens foram feitas quando duas jovens brasileiras, Letícia Maia, de 21 anos, e Desirrê Freitas, de 26, foram consideradas desaparecidas por suas famílias depois de se envolverem com Kat Torres.
— Eu recebi ameaças de morte após ela expor o meu número, cerca de dois minutos depois. Então, abri um boletim de ocorrência aqui em Nova York – conta Antonio, que diz nunca ter respondido às intimidações.
“Se fosse um homem que pudesse te dar uma boa surra, você faria isso?”, escreveu Kat Torres a Isurperio. “Perseguidor da cura feminina”, escreveu em outro post, onde pedia para que seus seguidores ajudassem a derrubar o perfil dele.

Compartilhar:

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password

WhatsApp Chat
Enviar Mensagem