Proprietário de franquia da 7-Eleven pode pegar até 10 anos de prisão por abrigar, contratar e explorar imigrantes ilegais

Após uma investigação realizada pela Homeland Security Investigations (HSI) e uma acusação feita pelo Ministério Público dos Estados Unidos, no Distrito Leste de New York, Yong Min Choe, 55 anos, se declarou culpado de conspiração para ocultar e abrigar imigrantes ilegais, empregando-os em sua franquia da 7-Eleven, em Brentwood, NY.

Se for condenado, ele pode pegar até 10 anos de prisão e multa de até o dobro do valor do ganho bruto. Além disso.
Em março de 2004, Choe começou a operar a loja 7-Eleven em Long Island e concordou em cumprir as leis trabalhistas estaduais e locais. Entre 2004 e Novembro de 2019, ele contratou pessoas que não tinham autorização para trabalhar nos Estados Unidos e permitiu que esses funcionários usassem números falsos de Social Security e outras informações de identificação pessoal. Como resultado disse, ele pagava a seus funcionários salários abaixo do padrão e se enriquecia, diz a acusação.

“Ao longo de 15 anos, Choe contratou conscientemente indivíduos que não tinham autorização legal para trabalhar nos EUA e depois tirou proveito do status ilegal destes trabalhadores, pagando-lhes salários inadequados por longas horas de serviço”, afirmou Peter C. Fitzhugh, agente especial responsável do HSI em New York. “O HSI e seus parceiros responsáveis pela aplicação da lei estão comprometidos em proteger nossas comunidades contra os abusos de empresários corruptos que buscam obter uma vantagem ilegal e obter um grande lucro nas costas de outras pessoas”.

“O réu usava sua loja de conveniência para abrigar e explorar funcionários imigrantes e roubar salários deles”, declarou o Procurador dos Estados Unidos Richard P. Donoghue. “Este escritório, juntamente com nossos parceiros, está comprometido em aplicar vigorosamente as leis de imigração e trabalho que protegem nossas fronteiras e o local de trabalho”.

“A acusação de culpa de hoje ilustra nosso compromisso de perseguir aqueles que burlam os números do Seguro Social para driblar a lei de imigração e emprego”, afirmou John Grasso, agente especial da SSA-OIG.

Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password

WhatsApp Chat
Enviar Mensagem