Neonazista que atropelou ativista em Charlottesville será acusado de crime de ódio nos EUA

Autoridades americanas anunciaram nesta quarta-feira (27) que vão acusar um neonazista de crime de ódio por atropelar com seu carro um grupo de manifestantes antirracistas na Virgínia no verão passado (no Hemisfério Norte).

A violência desatada em Charlottesville, em um encontro de grupos nacionalistas, impactou os Estados Unidos. James Fields enfrenta 30 acusações, incluindo ter causado a morte de Heather Heyer, uma ativista de 32 anos.

Desde então, está detido e é acusado de homicídio pelo estado da Virgínia, que o julgará.

As autoridades federais americanas estimam que também deva enfrentar um julgamento por “crime de ódio”, uma categoria à parte de delitos criminais, na qual as vítimas são atacadas por pertencer a um grupo racial ou religioso, ou por alguma particularidade sexual ou deficiência.

Essas ofensas são tratadas pelas cortes federais como crimes agravados pelas circunstâncias, o que geralmente eleva as condenações.

Após os eventos em Charlottesville, em 12 de agosto de 2017, o presidente Donald Trump inicialmente relutou em condenar abertamente esses ativistas xenófobos, provocando uma polêmica nacional.

Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password

WhatsApp Chat
Enviar Mensagem