ICE prende mãe e filho após uma audiência de violência doméstica

A agência de imigração e alfândega (ICE, sigla em inglês) defendeu sua decisão de prender uma mãe e o filho do lado de fora de um tribunal no condado de Mecklenburg, na Carolina do Norte, depois que eles participaram de uma audiência em um caso de violência doméstica.

Em um comunicado enviado à Newsweek, Bryan Cox, porta-voz do ICE, confirmou que a mulher, que não teve o nome divulgado para proteger a identidade de um possível sobrevivente, foi presa por agentes do ICE no tribunal do condado de Mecklenburg em 9 de julho “após a sua aparição no tribunal como réu em acusações criminais contravenção.

A agência disse que a mulher, uma colombiana, entrou legalmente nos EUA em agosto de 2016, no entanto, ela não deixou o país como exigido nos termos de sua admissão. “Ela está ilegalmente presente desde o vencimento de seu visto, em novembro de 2016”, disse Cox. “Um juiz federal de imigração decidirá agora o caso dela”.

O porta-voz do ICE disse que a mulher foi “brevemente detida” para que ela pudesse receber uma papelada, colocando-a em processo de deportação. “Ela foi então libertada naquele mesmo dia”, disse Cox, acrescentando que a imigrante também recebeu transporte de volta para o tribunal.

Falando com o Charlotte Observer, a mulher descreveu a experiência de ser levada algemada do tribunal como “uma das experiências mais humilhantes e constrangedoras” de sua vida.

A Defensora Pública-assistente de Mecklenburg, Herman Little, reconheceu que a mulher era ré em uma queixa criminal apresentada por seu ex-noivo, mas disse que o caso foi precedido por uma alegação de violência doméstica na qual seu filho de 16 anos havia acusado seu antigo noivo de agredi-lo severamente.

A mulher alegou que seu ex-noivo havia feito acusações contra ela em retaliação. Little disse ao Observer que ela havia tomado uma ordem de proteção contra o homem e também procurado refúgio junto à sua família, incluindo um segundo filho de 2 anos de idade, em um abrigo para vítimas de violência doméstica.

A Defensor Público chamou a prisão da imigrante, por agentes do ICE, de um incidente “louco”, expressando preocupação de que prisões como estas possam desencorajar as vítimas e os réus de obter justiça, com medo de serem detidos na corte.

“Eu nunca vi nada disse antes”, disse Little. “Como alguém conseguirá justiça se as vítimas e os acusados não forem ao tribunal porque estão com medo de serem deportados? Isso é uma loucura”, finalizou.

Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password