ICE aperta o cerco contra casamentos falsos

Uma mega operação de caráter nacional terminou com a prisão de quase 100 pessoas acusadas de fazer parte de uma “rede de casamentos falsos em grande escala”. A investigação feita pelo ICE, HSI e USCIS.

“Estas prisões marcam o fim de uma investigação exaustiva de várias agências durante todo o ano sobre uma das maiores suspeitas de conspiração de fraude matrimonial jamais documentada na região de Houston, no Tecas”, disse o agente especial de ICE, Mark Dawson.

Esta investigação se dirige a uma organização criminosa que funciona como um esquema que vendia Green Card para clientes imigrantes.

As acusações são contra Ashley Yen Nguyen, conhecida como Duyen, de 53 anos e residente de Houston, responsável pela organização com sede na cidade, com associados que operam em todo o Texas e na República do Vietnã.

“A fraude no casamento é um crime sério”, disse o diretor do USCIS, Tony Bryson. “Esta acusação revela como nossas parcerias de trabalho são bem-sucedidas com nossos policiais e agentes de inteligência quando se trata de investigar fraudes conjugais. O USCIS se mantém firme no compromisso de garantir a segurança nacional, a segurança pública e a integridade do sistema de imigração”.

A acusação alega que os casamentos envolvidos nessa conspiração eram falsos porque os cônjuges não moravam juntos e não pretendiam fazê-lo, ao contrário dos documentos e declarações oficiais apresentados no USCIS.

Essa organização criminosa também preparou álbuns de casamento falsos que foram fornecidos ao solicitante e ao cônjuge beneficiário, que incluíam fotografias para dar a impressão de que eles tinham uma relação no casamento além do simples casamento em um tribunal.

Os cônjuges só se encontraram brevemente, geralmente imediatamente antes de obter sua licença de casamento.

De acordo com as acusações criminais, cada cônjuge beneficiário assinou um acordo com Duyen no qual pagou entre US$ 50.000 e US$ 70.000 para obter status de residente permanente nos EUA.

A acusação também alega que a organização criminosa forneceu informações falsas sobre impostos, serviços públicos e emprego para ajudar a garantir que o USCIS aprovasse os formulários de imigração.

Se condenados por conspiração para cometer fraude matrimonial, os réus podem pegar até cinco anos de prisão. Todas as acusações restantes têm no máximo 10 anos de prisão federal.

Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password

WhatsApp Chat
Enviar Mensagem