Inovar é a única maneira de criar dinheiro novo para o negócio

Sergio Dias é economista com pós – graduação em gerência de projetos e especialização em administração de empresas; consultor de empresas, roteirista, palestrante e instrutor; sócio da Sdias Consultoria Ltda (fundada em 1999); prestador de serviços de consultoria no SEBRAE/RJ, nas áreas de gestão da inovação e planejamento estratégico. Sérgio Dias também é consultor e facilitador de cursos de inovação na FIRJAN e na ANPEI. È vice- presidente da ASSESPRO-RJ, membro do Conselho Empresarial de Inovação da Associação Comercial do Rio de Janeiro e integrou o grupo de trabalho da prefeitura para elaboração do Planejamento Estratégico da Cidade do Rio de Janeiro e as missões de negócios ao Panamá, Costa Rica, Portugal e Espanha pelo Centro Internacional de Negócios da FIRJAN.

Hoje inicio a publicação de artigos neste Jornal e pretendo fazê-lo de forma seriada, dando continuidade ao assunto em artigos subsequentes. Para iniciarmos essa série, vamos falar um pouco de crise e de como se pode enfrentá-la, inovando.

Tempo de crise é como mar revolto. Pode ser perigoso para uns, mas atraente para outros. Os bons surfistas preferem o mar revolto, com grandes ondas e desafios. Quem não sabe nadar ou nada mal, ao ver o tamanho das ondas foge da praia.

No tempo de crise, de mar encapelado, fica fácil distinguir quem realmente tem capacidade ou quem não tem. Só pelo estilo do nado.

Nos tempos de bonança, de mar tranquilo, quase todos se igualam, os bons e os medíocres.  A turma fica nivelada por baixo e, mesmo sendo medíocre e incompetente, a onda boa leva o sujeito para a praia, mesmo nadando mal. Isso vale para pessoas, empresas e governos de nações.

Faço essa analogia para mostrar que estar confortável em seu negócio não quer dizer que ele esteja sendo bem gerido. Pode ser apenas um sinal de que o mar está calmo.

Para que a gestão do negócio tenha excelência é necessário habilidade, competência e visão de futuro. Essas são as características de um empreendedor inovador.

Habilidade, segundo Voltaire, significa ser “mais do que capaz, mais do que instruído”.

Capacidade e conhecimento são necessários, mas a habilidade consiste em saber reproduzir essa capacidade e esse conhecimento em ações práticas e ter êxito nisso.

Portanto, se você pretende ser um empreendedor de sucesso é preciso desenvolver essa habilidade e utilizar seu conhecimento e sua experiência de forma organizada e racional.

A visão de futuro é a capacidade de visualizar a organização como um sistema integrado e saber onde você quer chegar com seu negócio.  Nesse ponto é que entra a inovação.

Fazer as coisas sempre da mesma forma só lhe trará o mesmo resultado. Para obter um resultado diferente, ou seja, crescer e ser competitivo, exige que você faça diferente.  Fazer diferente é inovar.

Você pode inovar em produto, em serviço, em marketing e na própria organização do negócio.

Inovação não se resume simplesmente em criar uma coisa nova. É preciso que essa coisa nova seja aceita e consumida pelo mercado.

Não necessariamente a inovação é algo novo. Isso seria uma inovação radical.  Mas você também pode inovar modificando e agregando novas funcionalidades em seu produto, serviço, processo ou na organização do negócio, de forma a torna-lo atraente e com um valor agregado que será percebido pelo cliente. Isso é inovação incremental.

Inovar é a única maneira de criar dinheiro novo para o negócio. É enxergar a oportunidade e se apropriar dela, ganhando mercado e tornando seu negócio sustentável e competitivo.

Compartilhar:
<

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password