Parentes e amigos lamentam morte de atleta atingida por bote de Bombeiros durante competição

Ludimila Barbosa era orientadora educacional numa creche em Palmas. Corpo de Bombeiros e Prefeitura de Palmas emitiram nota de pesar.

A morte da triatleta Ludimila Barbosa, de 40 anos, atingida pela hélice de um bote salva-vidas dos Bombeiros, causou comoção nas redes sociais. Parentes, amigos e colegas de trabalho lamentaram e publicaram homenagens. Ela era orientadora educacional no Centro Municipal de Educação Infantil João e Maria e não resistiu após ficar dois dias internada na UTI do Hospital Geral de Palmas.

A morte coincide com o Dia do Orientador Educacional, celebrado em todo o país nesta terça-feira. (4). Uma faixa de luto foi colocada na porta da creche onde Ludimila trabalhava. A Secretaria Municipal da Educação informou que as aulas na unidade estão suspensas nesta terça e quarta-feira (5). As atividades retornam ao normal, na quinta-feira (6). Nas outras unidades educacionais da rede municipal, as atividades seguem o calendário escolar.

Para os colegas de trabalho, o dia é de tristeza. “Perdemos uma colega de trabalho, amiga. Ludimila Barbosa, uma pessoa que conheci na fila de posse do concurso da educação de 2005, ela chegando de Brasília e escolhendo Palmas para morar. Orientadora educacional como eu. Hoje aqui na sala da direção da ETI Daniel Batista, cargo que ela ocupou por 7 anos, tudo aqui tem a sua marca, o quadro na parede, os móveis”, publicou um professor da capital.

Uma parente da vítima também se manifestou na internet. Na mensagem, disse que a família agradece pela corrente de oração e às pessoas que doaram sangue à vítima. Afirmou também que a triatleta deixa dois filhos, um menino de 12 anos e uma menina de 6.

O Corpo de Bombeiros lamentou o ocorrido. “A morte da atleta foi contrária à razão precípua de ser da corporação que é a de salvar vidas, por isso, estamos sofrendo muito junto com os familiares e amigos a dor dessa perda difícil e irreparável”. Afirmou ainda que, em 25 anos de história, é a primeira vez que a corporação lida com uma fatalidade dessa natureza.

A Prefeitura de Palmas também emitiu nota de pesar. “Neste momento de grande perda e dor, a Prefeitura em nome da Semed presta solidariedade aos familiares, amigos e colegas de profissão rogando a Deus conforto necessário a todos”.

Ludimila nasceu em Brasília e atuava na educação municipal desde 2005. Ao longo da carreira, atuou em diversas unidades e funções entre as quais, diretora da ETI Daniel Batista e do Cmei Sítio do Pica Pau Amarelo e, atualmente, exercia a função de orientadora educacional no Cmei João e Maria.

A morte: A triatleta Ludimila Barbosa, de 40 anos, morreu por volta das 6h15 desta terça-feira. Ela foi atingida pela hélice de um bote salva-vidas dos Bombeiros, durante uma competição. A vítima estava internada desde o último domingo (2), na UTI do Hospital Geral de Palmas em estado grave. Por causa do acidente, precisou amputar o pé esquerdo.

A morte foi confirmada pela Secretaria Estadual da Saúde, a qual em nota informou que mesmo com todos os recursos disponíveis a paciente não resistiu. O corpo foi levado para o IML de Palmas, já que a vítima sofreu um acidente e por isso o IML precisa fazer exame necroscópio para definir as causas.

O acidente aconteceu no lago de Palmas durante a 6ª etapa do circuito estadual de Maratona Aquática do Tocantins. Ludimila participava de competições desde o fim de 2017 e era professora no Centro Municipal de Educação Infantil João e Maria, da Prefeitura de Palmas. Uma faixa de luto foi colocada na porta da unidade escolar.

Nesta segunda-feira (3), cerca de 40 bombeiros se mobilizaram para fazer doação de sangue. Segundo a corporação, um ônibus percorreu os batalhões da capital para transportar os militares voluntários até os hemocentros da capital.

A Marinha do Brasil instaurou um inquérito para investigar o acidente. O comandante da Marinha em Palmas, Capitão Alberto Ramos, disse que ainda é cedo para falar sobre a investigação. “O inquérito que foi instaurado hoje pela Capitania Fluvial do Araguaia Tocantins irá detalhar estas circunstâncias com o propósito de apurar as causas e responsabilidades”, disse ele.

O acidente: O Corpo de Bombeiros informou que começou a ventar muito no decorrer da prova e que após a metade do percurso alguns atletas começaram a pedir ajuda. Dois chegaram a ser retirados da água e os militares resgatavam um terceiro quando perceberam que a mulher foi atingida pela parte de trás da embarcação.

O comando dos Bombeiros lamentou o ocorrido e disse que “todos os procedimentos necessários para preservação da vida e elucidação dos fatos, foram e estão sendo tomados”.

A Marinha foi acionada e a polícia técnica foi ao local para periciar a lancha. A Federação Aquática do Tocantins disse que a provas respeitou as regras internacionais e nacionais de segurança na água e que todas as providências legais estão sendo tomadas.

Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password