Cinco prédios brasileiros vencem prêmio internacional de arquitetura

Dos 31 premiados pelo Mies Crown Hall Americas Prize, cinco são brasileiros. Destaques foram escolhidos entre 200 concorrentes da América do Norte e do Sul

O prêmio de arquitetura Mies Crown Hall Americas Prize(MCHAP) divulgou, na última sexta-feira (25), seus vencedores do biênio 2018/2019. Ao total, foram 31 prédios selecionados como Projetos de Destaque entre 200 inscritos. O anúncio foi feito durante a Bienal de Veneza pelo diretor do MCHAP, Dirk Denison. Os finalistas do prêmio internacional serão escolhidos dentre estes já premiados nas regionais e anunciados em outubro.

O MCHAP tem como objetivo premiar os prédios de maior relevância das Américas, incluindo América do Norte, Central e do Sul. O júri do prêmio é composto por cinco especialistas em arquitetura e urbanismo, de quatro países diferentes: Estados Unidos, México, Chile e Reino Unido. O prêmio é promovido pelo Illinois Institute of Technology (IIT).

 

Conheça os brasileiros selecionados!

Sesc 24 de Maio, Paulo Mendes da Rocha + MMBB Arquitetos

Com 14 andares, o novo Sesc 24 de Maio se localiza no Centro de São Paulo. Sua arquitetura é desenhada para dialogar com o bairro, com 14 pavimentos e janelas de vidro por onde se pode observar os vários traços da cidade. O prédio inclui áreas reservadas a esportes, a cultura e a alimentação. No terraço, uma piscina também proporciona um espaço de convivência.

 

Estações da Linha 2 – CCR Metrô Bahia, JBMC Arquitetura e Urbanismo

Localizada em Salvador, a Linha 2 de metrô tem 12 estações e liga a região de Iguatemi/Rodoviária ao aeroporto. O projeto é marcado pelos 11 arcos de 23 metros de vão, que preservam a ventilação e iluminação natural por serem divididos em trechos inclinados, formando uma sequência. Pilares de concreto dialogam com o colorido dos arcos e permitem um maior aproveitamento do espaço interno.

 

Instituto Moreira Salles, Andrade Morettin Arquitetos

O novo prédio do Instituto Moreira Salles foi desenhado para abrigar um museu em plena Avenida Paulista. Ele foi desenhado para abrigar dois interesses principais: o programa do museu e o aproveitamento do contexto urbano. Assim, além das salas expositivas, o prédio conta com auditório, salas de aula e espaço multimídia, criando uma Midiateca. Para aproveitar seu entorno, o térreo do edifício fica a quinze metros do chão, criando um observatório para a avenida icônica.

 

Casa 239, UNA Arquitetos

Projetada para uma família em São Paulo, a Casa 239 tem como ponto central uma jabuticabeira de 50 anos de idade. Todos os outros cômodos são voltados para ela: varanda, sala de estar, jantar, cozinha, sala de estudos e quarto. No terraço, uma piscina proporciona contato direto com a natureza. Madeira e concreto marcam o estilo do projeto.

 

Huma Klabin, UNA Arquitetos

O prédio residencial Huma Klabin fica no bairro da Vila Mariana, em São Paulo. São duas torres com 12 pavimentos, divididas entre apartamentos de 44m² a 67m². Concreto armado aparente dá o tom do edifício, que favorece vistas, aeração e insolação em um bairro permeado por diversas construções altas.

Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password