Declaração do Grupo Mulher Brasileira no Dia Internacional da Mulher

Neste Dia Internacional da Mulher nossos pensamentos estão com todas as mulheres corajosas que colocaram violência e assédio sexual no centro das atenções. Para todas as mulheres que trabalham e que têm de escolher entre tomar conta de um(a) filho(a) doente ou uma pessoa querida e arriscar perder o emprego. Todas as mulheres presas pela imigração que estão separadas de suas famílias. Todas as mulheres e meninas que são oprimidas, violentadas, diminuídas e silenciadas.

Nós estamos com vocês. Nós somos vocês.

Mulheres em todo o mundo não vão esquecer 2017. Muito menos as mulheres brasileiras de Massachusetts. Este foi o ano em que inúmeras mulheres denunciaram seus abusadores, fossem quem fossem, tivessem o poder que tivessem. Em Massachusetts, pela primeira vez, três brasileiras se candidataram a cargos eletivos e uma, a housecleaner e dona de um pequeno negócio, Margareth Shepard, tornou-se a primeira brasileira nos Estados Unidos a ser eleita para um cargo eletivo (vereadora pelo distrito 7, Framingham).

Em 2018, nós vamos fortificar estas vitórias e trabalhar juntas com mais afinco para empoderar a mulher e acabar com a violência contra a mulher em todos os níveis. Mas não podemos esquecer que a estrada a nossa frente é difícil mas não impossível de ser conquistada.

Desde 1975, quando o primeiro Dia Internacional da Mulher foi oficialmente celebrado, as mulheres obtiveram muitos ganhos, mesmo assim, ainda enfrentamos opressão política e econômica, pobreza, desigualdade, violência, discriminação, xenofobia e intolerância.

O Grupo Mulher Brasileira sempre esteve à frente da luta pelos direitos da mulher desde 1995, quando um grupo de mulheres se reuniu e decidiu fazer a diferença em suas comunidades. Vinte e três anos depois, o Grupo Mulher Brasileira é uma voz forte na comunidade na defesa dos direitos da mulher e dos imigrantes,.Empoderamos mulheres brasileiras imigrantes, criando um espaço onde a mulher se sente segura e respeitada.

Em 2006, começamos uma cooperativa de mulheres para ajudar housecleaners brasileiras a trabalhar em um ambiente saudável e para tentar acabar com a exploração das ajudantes das donas de schedules. Oferecemos centenas de workshops, treinamentos e oportunidades de desenvolvimento de lideranças e engajamos mulheres e homens no processo político.

Embora nossa comunidade tenha aprofundado suas raízes em Massachusetts — os brasileiros são o segundo maior grupo em cerimônias de naturalização — nós ainda vemos muitas de nossas irmãs sofrer com a pobreza, a exploração, leis de imigração injustas e abuso.

Em 2018, mais do que nunca, precisamos conectar com movimentos de base e precisamos organizar ações coletivas para continuar a provocar mudanças sociais e econômicas que irão, de uma vez por todas, acabar com a pobreza e a violência.

Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password

yoast seo premium free