Imigrante foge da deportação e se esconde em igreja em Amherst (MA)

Nas últimas semanas, o Immigration and Customs Enforcement (ICE) desencadeou uma série de ataques de surpresa no lado oeste de Massachusetts, detendo e prendendo dezenas de residentes e trabalhadores indocumentados.

Um caso recente relatado pela mídia local envolve Lucio Pérez, que fugiu da Guatemala em 1999 e morava em Springfield, uma cidade de tamanho médio. Ele chamou a atenção do ICE em 2009, depois de ter entrado em um Dunkin Sonuts em West Hartford (Connecticut), deixando seus filhos esperando no carro.

Na época, ele foi detido pela polícia local e acusado de “abandono infantil”. A acusação foi rapidamente resolvida, mas o ICE foi alertado para o caso e iniciou o processo de deportação contra ele. O imigrante fazia visitas de “check-in” periodicamente ao escritório da imigração e recebeu uma série de estadias nos últimos seis anos.

No entanto, em seu último check-in, ele teve a estadia negada e ainda recebeu uma ordem para sair do país antes do dia 19 de outubro. Diante do problema de ser enviado para milhares de quilômetros de sua esposa e filhos, resolveu tomar uma decisão e desafiou a ordem de deportação.

Lucio procurou o “santuário” na Unitarian Churc, em Amherst (MA), onde continua refugiado até hoje.

O ICE classificou Lucio como um “fugitivo” e jurou prendê-lo e deportá-lo. Em um esforço para contrariar o enorme apoio popular que o caso recebeu, a agência pintou o imigrante como um criminoso. A

CE classificou Lucio como um “fugitivo” e jurou prendê-lo e deportá-lo. Em um esforço para contrariar o enorme apoio popular que seu caso recebeu, a agência pintou o imigrante como um criminoso, com o representante da ICE, Khalid Wells, referiu-se, em uma entrevista, sobre “numerosas condenações por pequenos delitos menores” cometidos por Lucio, mas se recusou a especificar quais foram estes delitos, citando “regras de privacidade”.

Matt Cameron, um advogado que assumiu o caso, disse ao Amherst Bulletin que o ICE está preso a essa informação sobre as acusações porque “todas estão relacionadas ao trânsito e porque ele não é um criminoso” e diz que a agência tem isso como um jogo favorito agora, o de culpar a vítima “.

Em 9 de novembro, o ICE realizou outra batida na área e deteve três trabalhadores agrícolas na região de Springfield. Um dos homens detidos, Edgar López, foi deportado duas vezes para a Guatemala e voltou a viver nos Estados Unidos depois disso, cometendo uma infração penal de acordo com uma lei federal.

Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password

yoast seo premium free