Mercado de trabalho aquecido nos EUA ajuda alguns imigrantes

Economia americana superaquecida, desemprego em baixa, e apesar da antipatia do presidente e seu gabinete, uma classe de indivíduos tem se beneficiado da boa maré econômica – imigrantes.

O programa PERM, abreviação para Program Electronic Review Management, permite que empregadores localizados nos EUA contratem e legalizem imigrantes após demonstrarem ao governo americano que não encontram profissionais qualificados, disponíveis e interessados para preencher a vaga em questão.

Em reportagem a CNN, a headhunter Chandra Kill demonstrou frustração – “dos 21 candidatos confirmados para entrevistas de trabalho, apenas 11 compareceram. Todos pareciam muito interessados, e quando chega no dia da entrevista, eles desaparecem sem ao menos ligar e ficamos nos questionando o que está acontecendo. Há um ou dois anos atrás isso não acontecia.”

O desemprego nos Estados Unidos se encontra atualmente no nível mais baixo dos últimos 18 anos, e existem mais vagas de trabalho do que candidatos buscando recolocação no mercado de trabalho. O problema se estende até para novos contratados, que não comparecem ao primeiro dia de trabalho.

A advogada de imigração Renata Castro, sediada na Flórida, menciona que esse cenário favorece imigrantes que buscam colocação em vagas de trabalho como forma de legalização – “se um candidato não responde aos anúncios, não comparece a entrevista ou falta ao primeiro dia de trabalho, o imigrante com as qualificações mínimas para preencher a vaga de trabalho fica em vantagem, já que dessa forma o empregador pode documentar para o Ministério do Trabalho e para a Agência imigratória Americana que tentou a contratação de uma pessoa já autorizada para trabalhar no país, e que isso não foi possível.”

O cenário parece perfeito, mas mesmo com a escassez de funcionários é difícil encontrar empregadores dispostos a custear o processo, de acordo com Renata Castro. Segundo a advogada, as oportunidades de trabalho surgem em círculos de afinidade, ou seja, onde o futuro empregador tem alguma relação pessoal com o candidato. Exceto em casos de parentesco familiar, já que a lei não permite que processos de solicitação de green card por trabalho sejam solicitados por parentes do beneficiário do caso.

No passados, esses processos eram tramitados de forma inteiramente burocrática, mas atualmente, o governo americano impôs a obrigatoriedade de entrevista ao final do caso. A advogada Renata Castro pontuou o caos administrativo que isso tem causado na agência imigratória norte-americana, fazendo com que um processo de um ano e meio em média, chegue a levar três a quatro anos, graças a máquina burocrática “cada vez mais ineficiente”.

Imigrantes que já caíram na irregularidade também pode se beneficiar, já que munidos de aprovação e certificação do Ministério do Trabalho da necessidade da mão de obra do imigrante, os que tem pais ou mães vivos e portadores de residência legal ou cidadania norte-americana podem pleitear um perdão do governo pelo período de irregularidade. Conhecido como waiver, o processo visa demonstrar ao governo que o parente qualificador sofrerá na ausência do imigrante, desde que o sofrimento seja qualificado como desumano ou extremo. “Parece um padrão inatingível, mas é possível satisfazê-lo usando argumentos criativos e contando com a experiência da advogada tramitando o caso”, conclui Renata Castro.

Os indivíduos que precisam solicitar e obter perdão do governo norte-americano recebem o tão sonhado green card em entrevista feita no consulado ou embaixada americana no exterior. A lei imigratória não permite que essa classe de indivíduos receba o green card sem sair dos Estados Unidos. Apesar das manobras legais para chegar ao resultado final, a procura tem sido cada vez mais maior, já que a realidade de imigrantes em situação irregular nos EUA se torna cada vez mais difícil, resultado de uma política ferrenha contra os imigrantes. Até mesmo obter documentos essenciais para a vida nos Estados Unidos, como uma carteira de motorista, é cada dia mais restrito e por isso o green card se torna cada dia mais essencial para os que desejam viver o sonho americano.

Para os imigrantes que se encontram em status legal, é possível pleitear o benefício imigratório para si e para familiares diretos – cônjuges, filhos e filhas menores de 21 anos e solteiros, em alguns casos inclusive para enteados que se enquadrem nos requisitos legais.

Fonte: Assessoria Castro Legal Group e CNN

Website: http://www.castrolegalgroup.com

Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password

yoast seo premium free