EUA – Sul da Flórida na mira de fraude de seguro saúde nos EUA

Mais de 400 pessoas em todo o país foram acusadas por suspeitas de faturamento ilegal de $1,3 bilhão do programa Medicare, seguro saúde financiado pelos contribuintes. Dos envolvidos, cerca de 80 réus são do sul da Flórida – o epicentro da fraude em saúde no país, segundo revelado pelas autoridades federais do U.S. Department of Health and Human Services em Washignton, na quinta-feira, 12.

Entre os fraudadores, mais de 100 suspeitos trabalham como médicos, enfermeiros e outros profissionais de medicina, acusados ​​de conspiração e delitos relacionados ao programa.

Em uma conferência de imprensa, o procurador-geral dos EUA, Jeff Sessions, destacou que “Muitos profissionais da saúde confiáveis, como médicos, enfermeiros e farmacêuticos, optaram por violar seus juramentos e colocar a ganância a frente de seus pacientes. Surpreendentemente, alguns realizam a prática por meio de empresas criminosas multimilionárias”.

Fraude dos opiáceos na Flórida

Somente no sul da Flórida, os 80 profissionais ​​foram acusados ​​de enviar mais de $140 milhões em pedidos fraudulentos para o Medicare, por serviços que não eram necessários ou fornecidos, de acordo com o escritório de advogados do governo em Miami.

Muitos profissionais usavam o tratamento a pacientes com dependência química para faturarem de forma fraudulenta. O FBI descreveu os condados de Broward e Palm Beach como os principais centros para toxicodependentes de drogas e álcool que buscam assistência, o que resulta em maior atividade ilícita no meio.

O tratamento para dependência química é a maior indústria de Palm Beach County, com receitas superiores a $ 1 bilhão por ano, afirma o relatório do FBI.

As autoridades descobriram que um local para dependentes químicos em Palm Beach County e uma instalação de tratamento para pacientes do Medicare com problemas de abuso de substâncias pediram reembolso de $58 milhões pelo seguro Medicare para serviços de tratamento de drogas falsos nos últimos cinco anos.

De acordo com uma denúncia criminal do FBI, o dono do local, Eric Snyder e um ajudante, Christopher Fuller, conspiravam para incluir pacientes viciados para a Halfway There Florida, uma “casa sóbria” como são chamadas, em Delray Beach e para a Real Life Recovery Delray, para faturarem de forma fraudulenta pelo Medicare.

Em troca, ao invés do tratamento correto, os dois davam aos pacientes gifts cards, viagens aéreas gratuitas, viagens a casinos e clubes de strip-tease, juntamente com drogas, afirmou a denúncia. Ambos foram liberados sob fiança e Fuller terá audiência no final de julho e Snyder no início de agosto.

  • Com informações do Miami Herald
  • COMPARTILHE
  • POSTAGEM: SANDRA SERAFIM
Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password

yoast seo premium free