EUA – Eclipse cobre totalmente o sol nos EUA hoje

Nesta segunda-feira (21), os moradores de uma faixa de terra dos Estados Unidos viram um sol negro. É o eclipse solar total, um dos fenômenos mais aguardados pela agência espacial americana (Nasa) neste ano. No Brasil, ele será visto de forma parcial — quanto mais ao Norte, mais coberto estará o sol.

De acordo com a Nasa, o fenômeno poderá ser observado por 500 millhões de pessoas de forma total ou parcial: 391 milhões nos Estados Unidos, 35 milhões no Canadá e 119 milhões no México (além da América Central e parte da América do Sul).

No topo do Brasil, no monte Caburaí, o eclipse será parcial: cerca de 50% de escuridão. O trecho contemplado pela penumbra chega até Brasília, mas com apenas 1,96%. Nestas regiões com baixo índice, os observadores podem, talvez, notar apenas uma diminuição do brilho do sol.

Este é o segundo e último eclipse registrado neste ano: o primeiro ocorreu em 26 de fevereiro.

Onde ver nos EUA?

O primeiro ponto do contato será a Lincoln Beach, no estado norte-americano de Oregon, às 9h05 (horário local EUA). A totalidade começará no local às 10h16. Após cerca de uma hora e meia, ela cruzará os estados de Oregon, Idaho, Wyoming, Montana, Nebraska, Iowa, Kansas, Missouri, Illinois, Kentucky, Tennessee, Geórgia, Carolina do Norte e Carolina do Sul. eclipse total terminará próximo à Charleston, na Carolina do Sul às 2h48 . De lá, a sombra lunar deixa os Estados Unidos, às 4h09. Sua maior duração será próximo à Carbondale, Illinois , onde o sol será completamente coberto por dois minutos e meio.

E no Brasil, será que vai dar pra ver o eclipse?

No Brasil, o eclipse da próxima segunda-feira será parcial e poderá ser visto principalmente nas Regiões Norte e Nordeste. Veja na tabela abaixo os locais do território brasileiro que terão a chance de ver o fenômeno:

Foto: Climatempo

Como funciona um eclipse?

Eclipses, sejam solares ou lunares, ocorrem graças aos alinhamentos periódicos do Sol, Terra e Lua. Esse três corpos orbitam no espaço em caminhos muito previsíveis (O sol entra em órbita na galáxia uma vez a cada 200 milhões de anos!). Desde a época de Keplen e Newton, somos capazes de prever o movimento dos corpos planetários com grande precisão.

Um eclipse solar acontece quando a lua se move entre a Terra e o Sol. Você até pode pensar que isso poderia acontecer todo mês desde a órbita da lua, que pode estar definida entre cerca de 27 e 29 dias. No entanto, a órbita da lua está inclinada em cerca de cinco graus com relação à órbita da Terra em torno do sol. Não é muito, certo? Sim, mas a lua, em si, está apenas meio grau de largura no céu, o que equivale à metade da largura do seu dedo mindinho mantido no comprimento de seu braço. Sendo assim, às vezes a lua fica muito alta e às vezes muito baixa para causar um eclipse solar. Apenas quando o sol, lua, e Terra se alinham próximos à “linha de nós” – linha imaginária que representa e interseção dos planos de órbita da lua e Terra – é que pode ocorrer um eclipse. O mesmo vale para os eclipses solares e lunares. A situação é de alguma forma única, já que nenhuma outra lua no sistema solar gira em torno do plano da “eclíptica” – o plano orbital da Terra – que os planetas mais ou menos seguem.

Quando a lua cobre o sol, ela produz dois tipos de sombras na Terra. A sombra umbral é relativamente pequena no ponto de diâmetro na Terra, na qual um observador pode ver um eclipse total. Já a sombra penumbral é a maior área na Terra, onde um observador pode ver um eclipse parcial. Nos locais, onde a sombra penumbral bate, o sol não fica totalmente coberto pela lua.

  • COMPARTILHE
  • Fonte: G1
  • POSTAGEM; SANDRA SERAFIM
Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password

yoast seo premium free