Delegados, policiais e especialistas em segurança ganham espaço na política do ES após as eleições

Diferentemente da eleição anterior, de 2014, Espírito Santo teve 4 policiais civis e militares eleitos para a Assembleia Legislativa, um delegado e um instrutor de segurança para o Senado.

Delegados, policiais e militares ganharam espaço nas eleições 2018, no Espírito Santo. Diferentemente do pleito de 2014, foram eleitos dois delegados e dois policiais militares para a Assembleia Legislativo, um delegado e um instrutor de segurança (que já foi militar) para o Senado.

Dos quatro deputados estaduais eleitos com essa ocupação, três pertencem ao mesmo partido, o PSL, do candidato ao segundo turno da Presidência, Jair Bolsonaro.

O delegado Lorenzo Pazolini (PRP), agora deputado estadual, era o titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). Já o também eleito estadual, delegado Danilo Bahiense foi Superintendente de Polícia Técnico Científica do estado.

Os outros dois deputados eleitos, Capitão Assumção e Alexandre Quintino são policiais militares.

Assumção, inclusive, foi preso por envolvimento na greve da Polícia Militar de fevereiro de 2016, suspeito de incitar o movimento, mas solto dias depois.

Já a nova composição do Senado, conta com o delegado da Polícia Civil, Fabiano Contarato (Rede), que durante 10 anos ficou à frente da Delitos de Trânsito; e Marcos Do Val (PPS), que foi militar do Exército e há 18 anos é instrutor da SWAT, um departamento da polícia dos Estados Unidos.

 

Outras profissões

Por ter 50% de reeleições, tanto na Assembleia Legislativa quanto na representação capixaba na Câmara dos Deputados, a ocupação mais declarada pelos eleitos foi a de deputado.

Entre os deputados estaduais, também foram eleitos médicos, vereadores, analista de sistemas produtor agropecuário, professor, jornalista, enfermeiro, empresário e diretor de empresas.

Já entre os federais, também foram eleitos uma música, uma médica e um candidato que classificou a ocupação como “outras”.

 

Mulheres eleitas

A representatividade feminina no Espírito Santo continua baixa. Das 30 cadeiras da Assembleia, somente três serão ocupadas por mulheres. São elas: Janete (PMN), Iriny Lopes (PT) e Raquel Lessa (PROS). Na atual legislatura, são 5 mulheres deputadas estaduais.

Se formos considerar a representatividade das mulheres na Câmara, o número de mulheres aumentou. De uma, na atual legislatura, subiu para 3, mas ainda assim, uma baixa representatividade.

Compartilhar:

0 Comentário(s)

Deixar Comentário

Login

Bem-vindo! Faça o login na sua conta

Lembrar-me Perdeu a senha?

Lost Password

yoast seo premium free